• Quem Somos Investimentos Educacional Blog Call de Abertura Ao Vivo
  • Cemig conseguiu alongar R$ 3 bilhões em dívidas; Bradesco realiza coletiva de imprensa

    11 de outubro de 2017
    Por Pedro Paulo Silveira e Alexandre Faturi

    No pregão antes do feriado, atenção para Cemig, que conseguiu alongar R$ 3 bilhões em dívidas com os bancos, segundo apurou a Coluna do Broadcast. No Bradesco, Lázaro de Mello Brandão renunciou à presidência do conselho, e Luiz Carlos Trabuco Cappi acumula a presidência executiva e do colegiado.

    A Cemig conseguiu alongar por mais cinco anos uma dívida de R$ 3 bilhões junto aos principais bancos do País. A negociação teria sido individual com cada instituição, mas, em geral, as condições do reperfilamento são as mesmas para todos os envolvidos. Com mais de R$ 4 bilhões em dívidas com vencimento em 2017, a Cemig está quitando parte do que deve com o dinheiro de seu caixa, que tem sido levemente reforçado com a estratégia de desinvestimentos.

    CPFL

    O processo de agrupamento das pequenas distribuidoras CPFL Jaguari, CPFL Mococa, CPFL Leste Paulista, CPFL Sul Paulista e CPFL Santa Cruz avança pelas vias formais. A Aneel aprovou a proposta de abertura de audiência pública para colher subsídios e informações adicionais para o aprimoramento da minuta de resolução e novo contrato de concessão agrupada das empresas. O prazo para envio de contribuição será de 10 dias, entre 11 e 20 de outubro.

    Bradesco

    O Bradesco realiza coletiva de imprensa, às 10h30, para falar sobre a sucessão do presidente do conselho de administração, Lázaro de Mello Brandão. Estarão presentes Brandão, Luiz carlos Trabuco Cappi e Carlos Alberto Rodrigues Guilherme.

    A saída de Lázaro de Mello Brandão foi anunciada ontem e fontes já falam também em um novo presidente. Dentre os cotados para assumir o comando do Bradesco, de acordo com fontes, um dos nomes mais aventados no mercado é o do vice-presidente de tecnologia do Banco, Mauricio Minas. Ele comandou toda a revolução tecnológica dentro da instituição, atuou na integração do HSBC e ainda no desenvolvimento do Banco digital da instituição, o Next.

    Petrobras

    A CVM acusa 40 administradores e ex-administradores da Petrobras de terem burlado as normas contábeis brasileiras. A suspeita de irregularidade está na reavaliação do valor de ativos como as refinarias Abreu e Lima (Rnest) e o Complexo Petroquímico do Rio (Comperj). A lista de acusados inclui nomes como o diretor financeiro da estatal Ivan Monteiro e os ex-presidentes Aldemir Bendine, Graça Foster e José Sérgio Gabrielli.

    O detalhes em torno da suspeita de irregularidade ainda não são públicos. A acusação da CVM indica uma violação por parte dos administradores do chamado “dever de diligência”, que determina, entre outras pontos, que eles zelem pela saúde financeira da companhia. Por isso, nessa etapa das investigações, além dos diretores, todos os conselheiros das gestões que estão sob a mira da CVM se tornam alvo da apuração – uma vez que são responsáveis, respectivamente, pela elaboração das contas e por fiscalizá-las.

    A 4ª Turma Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF), em Recife, aprovou, por unanimidade, a venda da participação de 66% da Petrobras no bloco BM-S-8, na área de Carcará, no pré-sal da Bacia de Santos, para a norueguesa Statoil.

    Ontem foi julgado em Recife o recurso interposto pela Federação Nacional do Petroleiros e pelo Sindipetro de Alagoas e Sergipe, depois que o TRF5 derrubou, há 15 dias, o processo de suspensão de segurança da União Federal que permitia a continuidade da venda do campo de Carcará.

    Gol

    A demanda total da Gol aumentou em 5% em setembro ante o mesmo mês do ano passado. O oferta, por sua vez, avançou 2% no período, o que levou a taxa de ocupação nas aeronaves da empresa ao patamar de 80,2%, um crescimento de 2,3 pontos porcentuais em relação ao mesmo período de 2016. O número de passageiros transportados, por sua vez, teve alta de 4,8%.

    Outra companhia que divulgou seus números de setembro foi o Grupo Latam Airlines, com aumento de 3,9% no tráfego de passageiros frente a igual período de 2016, enquanto a oferta teve elevação de 2,0%. Como resultado, a taxa de ocupação aumentou 1,5 ponto porcentual (p.p)., alcançando 86,4%. No mercado doméstico brasileiro, a taxa de ocupação subiu 3,1 p.p., para 85,0%.

    Oi

    O conselho de administração da Oi aprovou ontem o novo plano de recuperação judicial, que precisa ser protocolado hoje na 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, de acordo com fontes. A Oi tem R$ 65 bilhões em dívidas e uma assembleia geral com credores está marcada para o dia 23 de outubro.

    Even

    A Even lançou 3 empreendimentos no terceiro trimestre de 2017, que totalizaram R$ 271 milhões (parte Even). As vendas contratadas, por sua vez, somaram R$ 332 milhões (parte Even) entre julho e setembro, dos quais R$ 129 milhões referem-se a vendas de lançamentos do trimestre (com VSO de 48%), R$ 101 milhões a vendas de estoque e R$ 102,3 milhões à venda da torre corporativa do empreendimento Urbanity (VSO de estoque de 10%, ex-Urbanity de 5%). A velocidade de vendas (VSO) do trimestre foi 14%.

    Braskem

    A Braskem fechou no dia 2 de outubro a compra da Cetrel e, indiretamente, do controle acionário da Distribuidora de Água Camaçari, por R$ 610 milhões. A compra foi anunciada em janeiro deste ano e aprovada por acionistas em assembleia realizada no final de setembro.

    Cosan e Comgás

    A Cosan Indústria e Comércio informou que a Shell Gas, Integral Investments e a Shell Brazil Holding exerceram opção de venda de ações da Comgás contra a Cosan Limited (CZZ), sua acionista controladora. A Shell transferirá à CZZ 21.805.645 ações ordinárias da Comgás, que representam 16,77% do capital social, a R$ 53,05 por ação. Em contrapartida, a CZZ entregará à Shell 20.349.395 ações da Cosan, representativas de 4,99% do capital social.

    Educação

    A Comissão Mista da Medida Provisória 785 – da reforma do Fies – aprovou ontem, em votação simbólica, o relatório do deputado Alex Canziani (PTB-PR) sobre as mudanças propostas pelo governo no programa de financiamento estudantil. A MP 785 precisa agora ser aprovada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado e o prazo de vigência da medida vai até 17 de novembro.

    A principal alteração ao texto original foi a ampliação do aporte do Tesouro Nacional ao Fundo Garantidor do Fies (FG-Fies), de uma promessa de R$ 2 bilhões em quatro anos para um limite de até R$ 3 bilhões, a depender da disponibilidade financeira do governo federal. Esse fundo será capaz de cobrir uma taxa de inadimplência de até 25% dos contratos, ante 10% do modelo antigo.

    O relatório também abre a possibilidade de resgate do FGTS para o pagamento das dívidas do Fies, bem como estende o programa de financiamento estudantil para cursos de pós-graduação e cursos de formação técnica e profissional.

    Fonte do noticiário corporativo: Agência Estado News